19 de set de 2010

" Jogando ao vento. "

Jogo ao vento tudo que por ventura possa me aparecer ao longo da minha caminhada,pois não os prendo como vento a soprar há de voltar,segurança eu ei de acreditar se não voltares ao meu favor deixo o vento carregar para longe tudo o que possa me magoar,pois a cada soprar vou me reinventar a espera de um novo vento a encontrar meu ser parece transbordar me ensinou a deixar a insegurança e poder transbordar uma segurança insaciável ao ar,onde eu possa acreditar que tudo que for meu o vento vai buscar e poder então me dar a eterna paz espiritual em meu ser reinar,me purificando ao tocar minha face no ar pois o vento a soprar eu não o vejo só posso sentir tocar minha face com seu suar onde ao bater sou-a leve a me tocar uma brisa na qual eu possa me adorar e saber que como ele eu posso voar a liberdade encontrar e em fim a mim confiar meu potencial só eu posso abusar confiar em si própria e ter coragem de arriscar como ele a enfrentar tempestade e um leve suar ao amanhecer de leve um vento a encontra o sol raiar,transcender em meio a luz que a de me iluminar em minhas tempestade me aparar para que eu possa sempre seguir em frente a buscar um vento invisivelmente a me saciar.
O vento que bate em minha face é o mesmo que volta na leve calmaria a me aplacar a calmaria e nunca me desesperar dando-me forças sempre de lutar.

Autoria: **Val**

Nenhum comentário:

Postar um comentário